Este sítio utiliza cookies para assegurar uma melhor experiência de utilização. Ao continuar a navegar está a concordar com a sua utilização.

PT EN

A seca em Portugal e o abastecimento de água para consumo humano

2012.03.28

A+ A-

A ERSAR está a acompanhar a situação de seca que se vive em Portugal e apresenta medidas para minorar os seus possíveis efeitos.

Tendo em conta as condições meteorológicas anormais verificadas nos últimos meses e a situação de seca que Portugal atravessa, a ERSAR tem vindo a acompanhar a situação em todo o País no que respeita aos sistemas de abastecimento público de água e à qualidade da água distribuída.

Os dados disponíveis e o acompanhamento efetuado pela ERSAR mostram que o abastecimento de água em Portugal continua a processar-se com normalidade e a qualidade da água para consumo humano não regista alterações decorrentes da situação de seca, mantendo os elevados padrões de qualidade, de acordo com a informação disponível.

As entidades gestoras cujos sistemas estão mais sujeitos a problemas decorrentes da fraca pluviosidade têm já prevista a adoção de planos de contingência que asseguram o fornecimento de água para consumo humano com elevada qualidade, mesmo em situações de seca.

Com o objetivo de atuar preventivamente sobre os possíveis efeitos da seca, a ERSAR disponibiliza um conjunto de elementos de apoio técnico e procedimentos a adotar pelas entidades gestoras dos serviços de abastecimento público de água:
  • Recomendação IRAR n.º 1/2005 - Prevenção de possíveis efeitos negativos da seca na qualidade da água distribuída;
  • Guia Técnico 8 – Uso eficiente da água no sector urbano;
  • Medidas para um uso mais eficiente da água.

Aproveita-se para informar da publicação recente da Resolução do Conselho de Ministros n.º 37/2012, da Presidência do Conselho de Ministros, que aprova medidas urgentes tendo em conta a atual situação de seca e cria a Comissão de Prevenção, Monitorização e Acompanhamento dos Efeitos da Seca e das Alterações Climáticas.


A ERSAR continuará a acompanhar a situação e intervirá quando necessário, prestando informação relevante sobre a matéria. Está naturalmente à disposição das entidades gestoras para o apoio que entendam necessário.